quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Especial dia do psicopedagogo:Entrevista cedida ao Caderno de educação.

Olá pessoal,

Em virtude desta semana ser especial por causa do dia do psicopedagogo, achei bacana compartilhar com vocês uma entrevista que cedi ao site Caderno de educação, ela ocorreu no ano passado e vale a pena compartilhar com todos!

PSICOPEGAGOGO É PROFISSIONAL PRÓXIMO A ESTUDANTES

        Os primeiros contatos dos estudantes com a psicologia em geral se dá através do psicopedagogo. É na escola, com as primeiras dificuldades de aprendizado, que esse profissional se torna uma mão amiga.
            A psicopedagogia é uma especialização, por isso há pedagogos e psicólogos que atuam na área, mas com certeza é um profissional cada vez mais valorizado na área educacional, desde a infância até já na fase adulta, e especialmente na época de decisão da carreira.
            É comum a presença de estudantes na fase pré-vestibular ou cursando a universidade em consultórios, em busca de ajuda para estudar ou definir a carreira, por isso a série Profissão Psicologia incluiu também a psicopedagogia.
            Karla Lopes Carvalho, 33 anos, atua como psicopedagoga no Rio de Janeiro, e na entrevista a seguir explica muito bem sobre essa profissão que tem sido cada vez mais reconhecida.

Caderno de Educação - Como decidiu seguir a carreira de psicopedagoga?

Karla Carvalho - Sempre gostei de trabalhar com crianças e senti necessidade de me especializar e poder ajudar crianças com dificuldades de aprendizagem.

CE – Você já sabia que área seguir na psicopedagogia, com que vertente trabalhar? Houve influência de outras pessoas: professores, familiares?

Karla Carvalho - Sim, escolhi direcionar meu trabalho para crianças,  pois é o grupo no qual mais gosto de trabalhar. Não houve influência.

CE – O que mais você gosta na sua profissão? Em algum momento pensou em mudar de área?

Karla Carvalho - O que mais gosto é ver a criança conseguir superar suas dificuldades e descobrir prazer em aprender.

CE – Psicopedagogia tem várias áreas de atuação? Como identificar em que área trabalhar. Como o estágio influencia nessa decisão?

Karla Carvalho - Sim, a identificação poderá ocorrer durante a práxis ou estudos de casos. O estágio é o momento onde o estudante pode atuar nas diversas áreas e escolher a que mais se identificar.

CE – Qual o conselho que você dá para quem está pensando em seguir a carreira? Que aptidões são necessárias?

Karla Carvalho - O primeiro passo é que goste da área de educação, que tenha vontade de ajudar as pessoas a identificarem e superarem suas dificuldades de aprendizagem. Ter paciência e amor pelo o que se propor a fazer.

CE – O que é preciso para ser um bom psicopedagogo?

Karla Carvalho - Ter compromisso e ética, entender que deve estar disposto a ouvir mais do que falar, a escuta é um dos requisitos primordiais nessa área. E guardar para si tudo o que é ouvido dentro do consultório/espaço, sigilo também é outro requisito fundamental.

CE – Quais segmentos da psicopedagogia estão em ascensão hoje? Qual mercado de trabalho o recém formado pode almejar?

Karla Carvalho - Hoje temos a institucional, clínica e hospitalar. O mercado de trabalho hoje mais visado é a clínica.

CE – Em contato com estudantes diariamente, nós percebemos que é grande a quantidade de alunos que tem dúvidas sobre que carreira seguir e também o volume de estudantes que mudam de curso, de área. Por que esse aumento, numa época em que existem muito mais opções de carreira do que antigamente?

Karla Carvalho - Porque alguns alunos escolhem a carreira pensando no retorno financeiro ou status, e no decorrer do curso se deparam com a falta de identificação, e passam a se preocupar se quando formados vão conseguir atuar, fazendo com que na metade do curso troquem de área.

CE – Fale um pouco sobre a Psicopedagogia:

Karla Carvalho - A Psicopedagogia é um campo de atuação em Saúde e Educação que lida com o processo de aprendizagem humana: seus padrões normais e patológicos considerando a influência do meio - família, escola e sociedade - no seu desenvolvimento, utilizando procedimentos próprios da Psicopedagogia. Tem sido aceita e reconhecida como especialização pelo INEP/MEC.
 É reconhecida academicamente através das produções científicas materializadas em teses, publicações e reuniões científicas organizadas pelo nosso órgão de classe Associação Brasileira de Psicopedagogia e por outros órgãos representados pelos profissionais e áreas afins. A formação é feita em cursos de especialização em universidades públicas e particulares. Não há atualmente, portanto, como desconhecer o papel relevante desta profissão que tem contribuído para a integração de crianças, adolescentes e adultos que por diferentes razões estão desarticulados do sistema escolar e de instituições onde a aprendizagem é o centro.
 Diferentemente dos primórdios do movimento educacional preocupado em compreender as razões do insucesso das crianças na escola, buscando apenas no aluno as respostas, a tendência contemporânea é considerar o insucesso enquanto sintoma social e não apenas como uma patologia do aluno.

Karla Carvalho é pedagoga, psicopedagoga, empreendedora e assina o site Psicopedagogiaonline.






Leia mais: 

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Especial dia do psicopedagogo: Dúvidas mais comuns 2.

Quanto o psicopedagogo clínico cobra em um atendimento?

Essa dúvida é a mais comum entre os profissionais que estão iniciando na área! Costumo dizer que o preço varia de acordo com a região do Brasil e o bairro também influenciará. Se você vai atender em lugar onde poder aquisitivo é melhor, poderá pedir um valor compatível, mas se você vai atender em local mais carente, preços populares será o mais recomendável. Na minha região o preço em média varia de R$50,00 a R$90,00. Lembrando que em nossa profissão são necessários vários atendimentos, então uma dose de bom senso é fundamental. Sem contar que se você é iniciante, precisa fazer seu nome e ser reconhecido na sua região, então um preço popular é o mais indicado.

Quanto tempo dura um atendimento?

Um atendimento dura em média 50 min., mas existe alguns momentos que precisamos exceder alguns minutos, chegando a 60 min.

Qual o público que o psicopedagogo pode atender, existe alguma idade específica?

Não existe idade específica, pessoas com dificuldades na aprendizagem podem procurar um psicopedagogo a qualquer momento. Mas normalmente a idade que os pais procuram pelo profissional é a partir da classe de alfabetização, pois é quando percebe-se que existe uma dificuldade no processo da leitura e/ou escrita.

Existe algum órgão que representa a psicopedagogia?

No momento contamos com uma associação, chamada ABPp - Associação Brasileira de Psicopedagogia, que luta em prol da regulamentação da profissão.


Qual o local mais indicado para o psicopedagogo clínico atuar?

Em clínicas onde exista profissionais como fonoaudiólogos e/ou psicólogos.

A supervisão faz-se realmente necessária ao psicopedagogo iniciante?

Sim, todo psicopedagogo iniciante precisa contar com a ajuda da supervisão de um profissional experiente, ou seja, que tenha mais de 5 anos de formado.

Tenho desejo de abrir um espaço e atuar como psicopedagogo clínico, eu posso?

Esta informação é muito importante e gera ainda muitas dúvidas, logo que me formei e decidi abrir o meu espaço, procurei supervisão com uma profissional experiente e qualificada, onde recebi a informação seguinte: Sim, desde que você tenha um espaço físico adequado com materiais necessários para atender o aprendente, e procure a prefeitura da sua cidade para solicitar o alvará. Não esquecendo de denominar o nome como ESPAÇO e não CLÍNICA. Isto até a profissão enfim ser regulamentada, aí teremos outras regras para cumprir.

Qual a chave básica para que o psicopedagogo desenvolva um bom trabalho?

Ética, comprometimento, dedicação, amor (pelo o que faz) e respeito!

Como faço para me associar a ABPp? 

Cada estado é representado por uma, mas para buscar qualquer informação a respeito Clique aqui.

Como faço para obter o título de psicopedagogo?

Através do curso de pós graduação (especialização), existe alguns estados que já estão oferecendo a nível de graduação. 


Por Karla Carvalho







segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Especial dia do psicopedagogo: dúvidas mais comuns!

O QUE É PSICOPEDAGOGIA?

É a área que atua no processo da aprendizagem; identificando as causas do não aprender,  e intervindo, para que o sujeito supere suas dificuldades  e alcance o sucesso escolar.

QUAIS ÁREAS  A PSICOPEDAGOGIA BUSCA CONHECIMENTO?

Pedagogia,  psicanálise,  psicologia e  antropologia.

ONDE, QUANDO E PORQUE SURGIU?

Conforme a psicopedagoga Alicia Fernández (BOSSA, 2000, p. 41), a Psicopedagogia surgiu na Argentina há mais de 30 anos e foi em Buenos Aires, sua capital, a primeira cidade a oferecer o curso de Psicopedagogia.

Foi na década de 70 que surgiram, em Buenos Aires, os Centros de Saúde Mental, onde equipes de psicopedagogos atuavam fazendo diagnóstico e tratamento. Surgindo da necessidade de atender a crianças com problemas de aprendizagem como uma forma de re-educação escolar.
Hoje os estudos estão muito desenvolvidos e os trabalhos, que inicialmente confundiam-se com um reforço pedagógico (sem propiciar os resultados desejados) mostram-se bem distantes desta visão.
ÁREA DE ATUAÇÃO:

Atualmente clinica e Institucional .

Área clínica
Prestar atendimento psicopedagógico em clínicas e consultórios, a fim de solucionar dificuldades de aprendizado.
Educação continuada
Auxiliar indivíduos que, por qualquer problema se veem afastados da escola.
Orientação pedagógica
Resolver questões ligadas a currículo, métodos de ensino e abordagens pessoais. Criar um plano de trabalho que facilite o aprendizado dos alunos.
Recursos humanos

Assessorar empresas, órgãos públicos e ONGs nos processos de aprendizagem dos funcionários.

Fonte:http://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/ciencias-humanas-sociais/psicopedagogia-688126.shtml
www.abpp.com.br/faq/como-surgiu-psicopedagogia

segunda-feira, 3 de novembro de 2014