segunda-feira, 6 de abril de 2015

Meu filho não aprende: quem poderá me socorrer?

- Arthur, filho! Não mexe aí, já falei pra você parar quieto...

-Meu Deus, o que faço? Não aguento mais falar com ele. – Disse a mãe, com um olhar aflito.

- Pior que a escola vive reclamando, é bilhetinho quase todos os dias!

- E as notas bimestrais, nem sem fala...É sempre a mesma reclamação: “Seu filho não consegue responder todas as questões, e em algumas vezes, ele troca a resposta de uma questão por outra. Parece mesmo não prestar atenção!!”


Pode ser que ao ler este pequeno trecho, você tenha se identificado com a cena ou possa conhecer alguém, que viva este enredo ou tenha vivido. Todos os dias atendo algumas famílias, e a metade das queixas estão relacionadas a falta de atenção e notas baixas na escola.
O que muitos pais não sabem, é que estes sintomas, podem ser um sinal que seu filho tenha um transtorno ou distúrbio de aprendizagem, e que isto, consequentemente, venha gerar uma dificuldade de aprendizagem.
A palavra distúrbio do latim “disturbium”, “distubare” é composta pelo prefixo “dis”, que significa alteração e “tubare”  interromper. Traz em si, duplamente, o significado que alcança até hoje: um distúrbio é uma perturbação, algum tipo de alteração, de interrupção ou algo que funciona mal em uma ordem qualquer, é uma anormalidade patológica por alteração violenta na ordem natural da aprendizagem”, obviamente localizada em quem aprende. Portanto, um distúrbio de aprendizagem obrigatoriamente remete a um problema ou a uma doença que acomete o aluno em nível individual e orgânico.
Embora o termo aparenta algo assustador, não é necessário entrar em pânico. O que é importante fazer, é buscar ajuda de um especialista, para que possa investigar o que  esta por trás “do não aprender”.
É essencial saber, que o especialista que investiga e trata as causas de uma dificuldade de aprendizagem é o psicopedagogo. Através de um “longo” processo de avaliação, com 8 até 10 sessões, o terapeuta ira apurar o que pode estar ocasionando tais sintomas e dificultando o processo de aprendizagem. E quando necessário, a criança ou adolescente, será recomendado que faça um acompanhamento com o psicopedagogo, afim de ajudá-lo a superar suas dificuldades de aprendizagem e reeducá-lo. Fazendo com que ele consiga se organizar, melhorar sua capacidade atencional, diminuir sua agitação motora e assim obter um bom rendimento escolar.


Karla Carvalho – Pedagoga e psicopedagoga
Coluna educação - Jornal Portal Zona Oeste