sábado, 5 de agosto de 2017

Tempo para tudo

O término das férias chegou. Para tristeza de crianças e muitos professores e para alegria dos pais. As crianças voltam a rotina de estudos, compromissos, aulas mil,  pouco tempo para brincar e muitas brigas para que possam usar por mais tempo tablet, celulares e computadores.
Por uma dificuldade dos adultos, que geralmente tem problemas com a palavra rotina, a vida das crianças fica uma bagunça. E pior, crescem sem capacidade de organização de suas vidas, passando a detestar a rotina também.

Porém ter hora para comer, estudar, tomar banho, brincar organiza as tarefas e organiza também a psique. Quantos de nós não temos o menor controle das atividades que precisamos fazer, das datas de entrega e ficamos desesperados, estressados e por vezes até doentes para dar conta das necessidades? É assim que você quer que seu pimpolho passe a vida adulta?

Pois bem. Aproveite o início das aulas e auxilie suas crianças a organizarem-se também. Monte com ela tabelas  que contemplem as horas da escola, das atividades, da soneca, da brincadeira (que não apenas eletrônica) , do tempo de tirar uma soneca ou de ter tempo livre pra nada, que é extremamente importante para o desenvolvimento sadio! Muitas crianças tem rotina de adultos, com uma coleção de tarefas que, apesar de os pais acreditarem que estão os preparando para uma vida adulta mais produtiva, colaboram com o cansaço excessivo, podendo gerar problemas de saúde física, mental e dificuldades na escolarização.




Assim você organiza suas atividades em casa também e os ensina a otimizar o tempo, ter noção de suas responsabilidades, trabalha habilidades de organização e, consequentemente, viver menos “na corda bamba”. Quem sabe você também não se anima e se planeja também?


Ah! Não esqueça de incluir você mesma na rotina da criança! Reservar um tempinho para brincarem juntos e fazerem ao menos uma refeição desfrutando da companhia uma da outra faz toda diferença na sua vida e na vida da criança. Permita-se!


Por Vivian Camila

CURTA A PÁGINA DA NOSSA COLABORADORA E






 ACOMPANHE SEU TRABALHO: Clique aqui

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Vamos brincar?

As férias estão em pleno vapor!

E a criançada também!! Mas como tirá-los dos computadores e tablets e deixá-los brincar de forma a mexer o corpo e a alma?

Reciclagem
Além de uma vasta opção de jogos de tabuleiro no mercado (alguns mais baratos e outros mais caros), podemos ajudar as crianças a montarem sua própria brincadeira com objetos menos estruturados. Uma garrafa de plástico de 600 ml pode se transformar em um avião, uma nave espacial ou em um carro... Depende se colamos um papel em formato de asas ou se colamos tampinhas de refrigerante na sua base...

Tiro ao alvo
Sabe aquele lençol velhinho , velhinho, todo puído? Liberte-se dele! Faça buracos em vários locais do lençol. Use canetinha ou caneta para tecido e marque números acima de cada buraco. Com durex, prenda o lençol com buracos numa porta. Pronto! Diversão garantida! É só desafiar a criançada a fazer aviõezinhos ou bolinhas de papel e tentar acertar nos buraquinhos! Ganha quem somar mais pontos (aqueles números acima dos buracos).Outra sugestão, é utilizar balões de aniversários. Não esqueça de colocar a pontuação em cada balão, assim fica mais divertido e competitivo.





Pega ajuda
Nada mais é do que uma brincadeira de pega-pega com uma alteração. A cada criança pega, elas tem que dar as mãos para correrem juntas e continuar a pegar os colegas.




Quem sou eu?
Cada participante escreve o nome de quem o colega deve advinhar. Este nome deve ser preso nas costas do advinhador, que deve fazer perguntas para acertar o nome de quem está em suas costas.
Aos fins de semana, aproveite e os leve em parques, museus, use as ciclovias da cidade para passearem de bicicleta, monte um campeonato de futebol com as crianças do prédio.




Assim as férias serão lembradas para sempre!

Por Vivian Camila.

CURTA A PÁGINA DA NOSSA COLABORADORA E





 ACOMPANHE SEU TRABALHO: Clique aqui

quinta-feira, 13 de julho de 2017

A importância do brincar

As férias chegaram. E com ela, promessas de menos horários a cumprir, mais tempo de divertimento. Mas... Como será este divertimento se nem sempre os pais estão em casa ou podem viajar?

Mas quem se importa com isso se as crianças amam os tablets, os jogos de computador, os games ou ainda acompanham vidradas os vídeos do You Tube? Bem não necessariamente o brincar tem que estar restrito apenas a jogos eletrônicos. Eles podem fazer parte da diversão, porém não podem ocupar a maior parte do tempo destinado ao brincar.

Mas, por quê? O brincar envolve vários processos importantíssimos para o crescimento saudável da criança, entre eles:

1. Poder vivenciar papéis que ocupará no futuro ao cuidar de uma casa,  de uma criança, ter uma profissão (bem exercitado em brincadeiras de casinha, por exemplo)

2. Para aprender melhor, a criança precisa exercitar e conhecer seu corpo. Aspectos importantes como força muscular, precisão de movimentos, conhecimento de esquerda e direita, de fundamental importância no processo de alfabetização por exemplo, são muito vivenciados nas brincadeiras, como futebol, corre cotia, esconde esconde, entre milhares de outras possibilidades;

3. Na brincadeira com outras crianças de qualquer idade, os pequenos aprendem a lidar com o ganhar ou perder, a negociar, lidar com frustrações, a reconhecer os seus sentimentos e o dos outros e descobrem possibilidades e dificuldades em si mesmo e nos colegas . Isso não é muito necessário para sua futura vida pessoal e profissional?

4. Nem é preciso comentar o quanto exercícios físicos são uma poupança bem positiva para a saúde física no futuro de seu filho, não é? A cada dia mais acompanhamos crianças com pressão alta, colesterol elevado,  obesidade, diabetes... Se para um adulto estas condições de saúde já são difíceis, imagine para uma criança.




5. Ajuda a construir boas lembranças da infância. Quem de nós não tem a memória de uma brincadeira, um colega, um primo da infância... Muitas vezes nos pegamos lembrando destas cenas, que nos traz alento num dia ruim, nos permite até refazer as amizades que o tempo deixou para trás. Que lembranças e estórias terá para contar para seus filhos, netos e afilhados uma criança que só teve acesso a brincadeiras solitárias diante de computadores?

Poderíamos ficar aqui muito tempo conversando sobre estes benefícios, não é mesmo? Mas vou fazer diferente. Durante o mês de julho darei dicas de brincadeiras para acriançada aproveitar! Sempre é bom que um adulto os acompanhe, principalmente os mais pequeninos, seja para brincar junto ou ajudar em alguma necessidade. Lembrando que em mês de férias acidentes com crianças tem seu número bem aumentado!

Coloque a criança que existe em você para fora! Ela a ajudará a resolver muitos problemas da idade adulta, além de te ajudar a relaxar no dia a dia, você vai ver!

Boas férias!

CURTA A PÁGINA DA NOSSA COLABORADORA E





 ACOMPANHE SEU TRABALHO: Clique aqui


sábado, 24 de junho de 2017

O que é síndrome de Tourette?

A síndrome de Tourette é um distúrbio neuropsiquiátrico. Sua característica principal são os tiques motores (piscar, franzir a testa,  levantar os ombros, sacodir a cabeça, tocar em objetos) ou vocais (tossir, fungar, gemer, chiar , gritar,limpar a garganta ou falar palavrões, insultar ou repetir palavras de forma incontrolável). Os sintomas aparecem já na infância e por não serem passíveis de controle, podem gerar situações que fazem familiares e pacientes constrangerem-se.


Os tiques podem variar de intensidade, de frequência, e podem estar associados a outros transtornos, como o TOC (transtorno obsessivo compulsivo) ou TDAH (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade). Eles podem diminuir quando o paciente necessita muito de concentrar-se, quando ingere álcool ou quando dorme. Pode ocorrer o aumento dos tiques quando o paciente está cansado, estressado ou ansioso.
Não há exames laboratoriais que indiquem a doença. A avaliação é clínica, consiste na observação do paciente, nos relatos de pais, parentes e professores. Os tiques devem ocorrer várias vezes por dia ou com frequência, intermitentemente por mais de um ano. O médico também deve excluir qualquer outra causa física que justifique os tiques motores.


Ainda não se sabe as causas do transtorno, nem há cura para o mesmo. Alguns tipos de terapia psicológica ajudam o paciente a conseguir um controle maior das crises, além de permitir que ele entenda quando os sintomas podem aparecer devido a um nível maior de estresse por exemplo. Em alguns casos, há a necessidade de uso de medicação psicotrópica, pois ela auxilia na diminuição da intensidade de tiques, principalmente quando estes causam prejuízo para a auto estima do paciente.

                Caso haja alguma dúvida, procure o auxílio de um profissional de saúde mental. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada mais rápido pode se buscar tratamento pelo espaçamento e treinamento de controle dos sintomas.

CURTA A PÁGINA DA NOSSA COLABORADORA E





 ACOMPANHE SEU TRABALHO: Clique aqui

quinta-feira, 15 de junho de 2017

O que é Síndrome de Prader Willi

A Síndrome de Prader Willi é uma doença neurogenética do cromossomo 15, que acomete especialmente o hipotálamo (área do cérebro responsável também pela adequar a questão hormonal, regular o humor e controlar a sensação de fome e saciedade. Esta síndrome é considerada a principal causa de obesidade de origem genética, que acomete 1 criança entre 12 a 15 mil nascidas.
Apesar de ser um quadro raro, o pouco movimento do bebê na barriga da mãe ou ainda uma quantidade maior de líquido amniótico no ventre da mãe devem passar por uma avaliação mais pormenorizada do médico que faz o pré natal. Pela fraqueza muscular da criança, o bebê tende a precisar de cesárea para o nascimento. Tendem a ter um baixo desempenho no teste de APGAR (teste feito nos primeiros 5 minutos de vida que  indica a saúde do bebê nos seguintes quesitos frequência cardíaca, respiração, tônus muscular, prontidão reflexa e cor da pele.
O bebê com a síndrome apresenta hipotonia (redução do tônus muscular), dorme demais e apresenta pouco interesse por alimentar-se, podem apresentar refluxo, hipoglicemia, estrabismo,dificuldade de sucção e deglutição entre outros sintomas.
Quando crescem, podem apresentar, atraso no desenvolvimento motor, dificuldades na aprendizagem, instabilidade emocional,  cantos da boca voltados para baixo, problemas dentários e visuais , ovários e testículos pouco desenvolvidos, alterações hormonais, menor sensibilidade a dor, puberdade tardia, febre sem motivo aparente, mãos e pés pequenos, pernas em X,hipertensão, diabetes, vontade incontrolável de comer, apresentando um apetite voraz, entre outros indícios.
É necessária a avaliação de um geneticista e o acompanhamento de vários especialistas, entre eles pediatras, psicólogos , fonoaudiólogos, psicopedagogos, terapeutas ocupacionais, ortopedistas, endocrinologistas, de acordo com a  necessidade terapêutica da criança.
É importante que, quando bebês possam ter condições de alimentar-se bem e depois, na infância ou adolescência devem ser controladas as calorias ingeridas e o gasto calórico, já que não identificam a saciedade e tem o metabolismo mais lento, o que pode causar obesidade mórbida.
A síndrome ainda não tem cura, mas quando bem acompanhadas, as crianças podem ter uma vida bem mais longa e com qualidade de vida.

Além disso, analgésicos e antitérmicos devem ser utilizados com moderação, pois permanecem por mais tempo agindo no organismo do portador. O refluxo gástrico do paciente deve ser acompanhado de perto para evitar complicações pulmonares. Caso o casal queira engravidar novamente, é importante que um geneticista os aconselhe.

CURTA A PÁGINA DA NOSSA COLABORADORA E





 ACOMPANHE SEU TRABALHO: Clique aqui