terça-feira, 11 de setembro de 2012


MODALIDADE DE APRENDIZAGEM

Para compreendermos as modalidades de aprendizagem, precisamos entender os conceitos de ESQUEMAS, ASSIMILAÇÃO E ACOMODAÇÃO por Piaget.
ESQUEMAS: São estruturas mentais ou cognitivas, padrões de comportamento ou pensamento onde o sujeito intelectualmente se adapta e organiza o meio. Estes esquemas são tratados como conjunto de processos dentro do sistema nervoso. Os esquemas mudam continuamente ou seja tornam-se mais refinados.
Uma criança, quando nasce, apresenta poucos esquemas (sendo de natureza reflexa), e à medida que se desenvolve, seus esquemas tornam-se generalizados, mais diferenciados e mais numerosos. NITZKE et alli (1997a) escreve que os esquemas cognitivos do adulto são derivados dos esquemas sensório-motores da criança. De fato, um adulto, por exemplo, possui um vasto arranjo de esquemas comparativamente complexos que permitem um grande número de diferenciações.
Os esquemas são usados para processar e identificar a entrada de estímulos, neste processo o organismo fica apto a diferenciar e generalizar estímulos.
EXEMPLO DE ESQUEMAS: frutas, animais, carros... Um bebê de 5 meses que come maçã raspadinha tem em seu esquema de frutas somente a maçã, porque é o que ele conhece.
Diante de um estímulo, um adulto mostra-lhe a pêra e o bebê vai achar que é maçã porque são semelhantes (textura, tamanho,vai comer raspadinha também..) Observando as diferenças, automaticamente tentará encaixar este estímulo (pêra) em seu esquema , aumentando assim o seu arranjo de esquemas, neste caso de frutas
Vemos então, que os esquemas são estruturas intelectuais que organizam os eventos como eles são percebidos pelo organismo e classificados em grupos, de acordo com características comuns
ASSIMILAÇÃO: Ato ou efeito de assimilar, ou seja, um processo de identificação onde duas ou mais coisas torna-se semelhantes, dando-se a apropriação e compreensão absorvendo o conhecimento.
A assimilação ocorre quando adapta-se os novos estímulos aos esquemas já adquiridos, por meios de novas experiências.
ACOMODAÇÃO: modificação de sistemas internos para adaptação a nova situação ou conhecimento adquirido pela assimilação.
A acomodação ocorre quando os esquemas de ação e do pensamento se modificam em contato com o objeto, situação.
Piaget explica que não existe assimilação sem acomodação, significa que a assimilação de um novo dado, conhecimento ou situação estão em esquemas
já existentes, ou seja, acomodados em fases anteriores. E quando explica que não existe acomodação sem assimilação, significa que um dado, conhecimento ou situação é acomodado perante a sua assimilação no sistema cognitivo (ESQUEMA) existente. (PIAGET, p. 18)
O organismo se sustenta e cresce por meio de interações com o ambiente. É importante saber se a criança que adquiriu um padrão de conduta o realiza com autonomia ou se ela o realiza em função do controle materno e/ou paterno.
Ex: quando a criança vai jogar, brincar, o faz da maneira que quer ou da forma que impuseram a ela.
Se realiza sem autonomia e com controle, significa que não houve a assimilação e acomodação, é um ato mecânico.
EXEMPLOS DE ASSIMILAÇÃO E ACOMODAÇÃO
Exemplo 1 - uma criança está aprendendo a reconhecer animais, e até o momento, o único animal que ela conhece e tem organizado esquematicamente é o cachorro. Assim, podemos dizer que a criança possui, em sua estrutura cognitiva, um esquema de cachorro. Pois bem, quando apresentada, à esta criança, um outro animal que possua alguma semelhança, como um cavalo, ela a terá também como cachorro (marrom, quadrúpede, um rabo, pescoço, nariz molhado, etc.). Notadamente, ocorre, neste caso, um processo de assimilação, ou seja a similaridade entre o cavalo e o cachorro (apesar da diferença de tamanho) faz com que um cavalo passe por um cachorro em função da proximidades dos estímulos e da pouca variedade e qualidade dos esquemas acumulados pela criança até o momento. A diferenciação do cavalo para o cachorro deverá ocorrer por um processo chamado de acomodação. Ou seja, a criança, apontará para o cavalo e dirá "cachorro" . Neste momento, uma adulto intervém e corrige, "não, aquilo não é um cachorro, é um cavalo". Quando corrigida, definindo que se trata de um cavalo, e não mais de um cachorro, a criança, então, acomodará aquele estímulo a uma nova estrutura cognitiva, criando assim um novo esquema. Esta criança tem agora, um esquema para o conceito de cachorro e outro para o conceito de cavalo.
Exemplo 2 - uma criança está aprendendo a reconhecer as formas geométricas e, até o momento, a única forma geométrica que ela conhece e tem organizado esquematicamente é o quadrado. Nesse caso, podemos dizer que a criança possui, em sua estrutura cognitiva, um esquema de quadrado. Quando apresentarmos, a essa mesma criança, outra forma geométrica que possua alguma semelhança com o quadrado, como um retângulo, ela dirá que é um quadrado (quatro pontas, amarelo, grande, etc). O que ocorre, neste caso, é um processo de assimilação, isto é, a similaridade entre quadrado e retângulo faz com que um retângulo se confunda com um quadrado em função da proximidade dos estímulos e da pouca variedade e qualidade dos esquemas acumulados pela criança até aquele momento de vida. A diferenciação do quadrado para o retângulo ocorrerá por um processo que Piaget chamou de acomodação. O que isso significa? Quando a criança apontar um retângulo e verbalizar quadrado, o adulto que estiver com ela e/ ou outra criança mais experiente dirá: “Isto não é quadrado, é um retângulo”. Ao ser corrigida, a tendência da criança é acomodar esse novo estímulo à sua estrutura cognitiva, construindo, dessa forma, um novo esquema. Assim, podemos dizer que essa criança terá um esquema para o conceito de quadrado e outro para o conceito de retângulo.

Mais informações no site www.psicopedagogavaleria.com.br
Curso de diagnóstico psicopedagógico clínico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário