domingo, 21 de outubro de 2012

Distúrbios e transtornos que acometem a linguagem, a escrita e a leitura



Boa noite,

Material postado especialmente para a turma que participou da 1ª Jornada de comunicação e expressão do curso preparatório SALA DE ESTUDOS.



Distúrbios e Transtornos que acometem a linguagem, a leitura e a escrita:

Você sabe o que é TRANSTORNO?

Tem o mesmo significado que a palavra contrariedade. É como se alguma substância do nosso cérebro responsável pelo SNC Sistema nervoso central funcionasse diferente. O sujeito que nasce com ele não pode ser curado, o terá a vida inteira. Afetam a habilidade da pessoa falar, ler, escrever, escutar, soletrar, pensar, recordar, organizar informações ou aprender matemática. Porém existi tratamento para oferecer uma melhor qualidade de vida para quem o tem. O tratamento com equipe multidisciplinar oferece excelentes resultados e faz com que a pessoa aprenda e consiga obter sucesso profissional.

Você sabe o que e um Distúrbio?

É um grupo de diferentes alterações manifestas por dificuldades significativas na aquisição e uso da audição, fala, leitura e escrita, raciocínio ou habilidades matemáticas. Estas alterações são intrínsecas, já nascem com o sujeito e também ocorre por disfunção do SNC.
Se pararmos para analisarmos, transtornos e distúrbios, são termos muito parecidos. O que difere um do outro é que no distúrbio fatores externos podem comprometer a aprendizagem fazendo com que apareça a chamada dificuldades de aprendizagem. Sendo esses fatores, alterações sensorial, retardo mental, distúrbio social ou emocional ou até mesmo influências ambientais, diferenças culturais, instrução inadequada, fatores psicogênicos.

Fatores que influenciam no processo de aprendizagem:

Fatores emocionais;
Fatores orgânicos;
Fatores específicos;
Fatores ambientais.

Principais distúrbios / transtornos que acometem a linguagem, a escrita e a leitura:

Dislalia;
Dislexia;
Disortografia;
Disgrafia
TDAH (Nem sempre acometem a linguagem, a escrita e a leitura somente quando ocorre a dificuldade de aprendizagem).

Dislalia:

É o transtorno da linguagem mas comum em crianças e o mas fácil de identificar. Podendo interferir no aprendizado da escrita tal como ocorre na fala, já que a criança escreve o que ouve.
Sua origem pode ser orgânica ou emocional. Como por exemplo a chegada de um irmãozinho.
A criança dislálica troca a letra, aumenta ou omiti as sílabas.
 Conhecida também como a síndrome do cebolinha, pois as crianças tende a troca o r pelo l. Ex.: Prato → Plato




 Dislexia:

É um transtorno / distúrbio que afeta a leitura e a escrita.  Ocorre quando o sujeito apresenta uma dificuldade em entender as diferentes formas da linguagem, de leitura, de escrita e até mesmo de soletração. O cérebro processa as informações de uma forma mais lenta. Sua região cerebral responsável pela análise de palavras permanece inativa, as informações recebidas pelo cérebro vão ser armazenadas em outro local. Fazendo com que o sujeito reconheça apenas os fonemas e não as sílabas dificultando assim o processo de leitura, logo acometerá a escrita.

É classificada em dislexia do desenvolvimento e adquirida, a do desenvolvimento nasce com ela e adquirida ocorre após um acidente, quando há uma lesão em uma parte do cérebro.

Características:

Dificuldade em compreender o que lê, mas entende qdo outra pessoa ler;
Dificuldade na escrita e ortografia;
Lentidão na leitura;
Falta de memorização das palavras;
Dificuldade em soletrar, nomear objetos ou pessoas;
Pula a linha ou volta para anterior quando lê;
Acompanha com o dedo a leitura;
Desordem entre os lados direito e esquerdo;
Grande dificuldades para aprender a segunda língua.

Diagnóstico e Tratamento:

O diagnóstico é feito por uma equipe multidisciplinar: neurologista, psicólogo, fonoaudiólogo e psicopedagogo. E o tratamento envolve essa mesma equipe.



Disortografia:

Pessoas que confundem letras, sílabas de palavras e trocas ortográficas já conhecidas e trabalhada pelo professor. Afetam a linguagem, a leitura e a escrita.

Características:

Troca de letras que se parecem sonoramente: faca/ vaca; chinelo/jinelo; porta/borta;
Confusões de sílabas: entraram / entrarão
Adições: Ventitilador
Omissões: cadeira / cadera; prato/pato.
Fragmentações: ensaiar/ en saiar; anoitecer / a noitecer
Inversões: pipoca / picoca
Junções: no dia seguinte /  no diaseguinte  



 Disgrafia;

É chamada letra feia. Isso acontece devido a uma incapacidade de recordar a grafia da letra. E ao tentar recordar esse grafismo escreve muito lentamente e acaba unindo inadequadamente as letras, tornando a letra ilegível. Podendo fazer com que algumas crianças possuas também a disortografia e amontoe as letras para esconder os erros ortográficos.
Não esta comprometida a nenhum tipo de comprometimento intelectual.

Características:

Lentidão na escrita;
Letra ilegível;
Escrita desorganizada;
Traços irregulares: ou muito fortes ou muito leves;
Desorganização geral na folha por não possuir orientação espacial;
Desorganização do texto, pois não observam a margem parando muito antes ou ultrapassando;
Desorganização das letras, letras retocadas, hastes mal feita, atrofiadas, omissão de letras, palavras, números, formas distorcidas, movimentos contrários à escrita (um s ao invés de 5 por exemplo).
Desorganização das formas, muito grande ou muito pequeno, escrita alongada ou comprida;
O espaço que dá entre as linhas, palavras e letras são irregulares;
Liga as letras de forma inadequada e com espaçamento irregular.


TDA / TDAH:

É um transtorno comportamental e tem como origem a herança genética podendo herdar de pais, tios, avós, irmãos. Ocorre devido a diminuição de 2 neurotransmissores, a dopamina e a noradrenalina que são responsáveis nos sistemas atencionais anterior e posterior, localizado no córtex pré-frontal do cérebro, região nobre responsável pelo controle de atenção.
Causas:

Complicações durante a gravidez ou parto que resultem sofrimento ao cérebro do bebê;
Bebidas alcoólicas;
Drogas ilícitas;
Falta de oxigenação no cérebro;

Sintomas:

Falta de atenção;
Impulsividade;
Deixar tarefas pela metade / inacabadas;
Balançar mãos e pés;
Não parar quieto na cadeira;
Responder antes de terminarem de fazer a pergunta...

Dicas:

Fazer uso de agenda;
❂ Sentar perto da professora;
Longe de janelas e ruídos;
Ser objetivo e prático quando falar com o sujeito;
Estudar em silêncio longe de ruídos, rádio, TV;
Ter horário para tudo.

Medicação:

Os psicoestimulantes (metilfenidato) são medicamentos utilizados no tratamento e agem aumentando as substâncias que estão baixa, com isso facilita o controle de atenção e impulsividade. Só pode ser receitado por médicos geralmente neurologistas.

Diagnóstico e Tratamento:

O diagnóstico é feito pelo neurologista e psicólogo comportamental. Através de teste aplicados durante a sessão. O tratamento é feito por uma equipe multidisciplinar: neurologistas, psicólogos comportamentais, psicopedagogos e fonoaudiólogos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário