terça-feira, 13 de novembro de 2012

O DESENHO INFANTIL: UM CAMINHO PARA A APRENDIZAGEM







Mª Jacqueline Alves dos Santos Matos


O desenho foi à primeira forma usada pelo homem para se comunicar através da escrita e continua sendo a primeira forma de expressão da criança. O desenho é arte, e essa arte contribui para que cada criança atue numa forma mais simples no mundo. 



"A criança incorpora suas manifestação expressiva:
canta ao desenhar, pinta o corpo ao representar, 
dança enquanto ouve histórias, representa enquanto
fala". (DERDYK, Edith.2003)



Através do desenho a criança canta, brinca, teatriza, coloca todos os seus sentimentos e pensamentos no papel, criando um universo só seu. Aprende noções de espaço, tempo, quantidade, sequência e desenvolve sua linguagem oral e escrita. Suas criações, desde as mais simples às mais elaboradas, representam no fundo à sua vida interior e afetiva. 
Conforme Piaget, "o desenho é uma forma de representação que supõe a construção de uma imagem bem distinta da percepção". O que a criança desenha não é a reprodução da imagem percebida visualmente, nem a imagem mental que se tem do objeto, consiste sim, na construção gráfica que ela tem naquele momento. Desta forma não se deve interferir, direcionar ou dar desenhos prontos para a criança, isso inibi a auto-expressão e projeta na mesma a incapacidade de desenhar.
No ambiente escolar o desenho se encaixa dentro de uma atividade artística que faz parte da vida curricular do educando, principalmente na educação infantil. O desenho é uma expressão de caráter mais inconsciente e menos controlador que a linguagem oferece, integra as dimensões cognitivas e afetivas , está situada como uma manifestação simbólica por excelência. Quando observa-se a criança ao desenhar e sua atitude frente a essa atividade criativa, analisa-se seu envolvimento e concentração, prazer e relaxamento, seu estado emocional, permitindo um acesso ao mundo interno. 
Para Izabel Galvão (p.55), " o olhar que o professor dirige ao desenho da criança apóia-se nas concepções que ele tem sobre o desenho enquanto linguagem, ideias constituídas na sua própria historia e experiência com a linguagem". 
Se o educador não possuir uma vivência prática da linguagem expressiva , facilmente incorrerá de erros grosseiros na avaliação daqueles rabiscos e figuras aparentemente inúteis. O educador deve valorizar sempre o desenho dos educandos, por mais que seja indecifrável ao seu olhar, todo desenho vem carregado de significados e a criança quando vê seu desenho valorizado fica entusiasmada e aprende cada vez mais. 
Nessa perspectiva , o desenho da criança favorece o seu desenvolvimento criativo e sua aprendizagem. Faz necessário conscientizar o educador para refletir sobre seu papel que é de formar um ser humano completo dentro de seus ideais, valorizando assim o desenho da criança e olhando para o mesmo como algo importante, fazendo com que o educando se torne um conhecedor da arte. O desenho deve ser visto como forma de expressão e não como um passatempo nas escolas ele se faz necessário pois não se trata apenas de uma função cultural-educativa, mas utilitária. 

Referências :
COX, Maureen. Desenho da criança. São Paulo: Martins Fontes, 1995
DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho ? desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo: Scipione, 2003.
GALVÃO, Izabel. O desenho na pré-escola: o olhar e as expectativas do professor. Disponível em www.crmariocovas.sp.gov.br Acesso em: 23/04/2010
LUQUET, G.H. O desenho Infantil. Porto Alegre: Duminho. 1969
PIAGET, Jean. INHERLDER, Barbel. A Psicologia da criança. Rio de Janeiro: 17ºed. Bertrand Brasil, 2001

Nenhum comentário:

Postar um comentário