quinta-feira, 30 de abril de 2015

Meu filho tem dificuldades em realizar cópia do quadro! O que devo fazer?

ESTUDO DE CASO:

A alguns meses atrás, recebi uma família em meu consultório, com a queixa: Meu filho, não consegue realizar cópias do quadro. E por muitas vezes, parece se distrair, em meio a sala de aula, durante as atividades escolares! 
Escutei o que eles tinham para dizer, fiz algumas perguntas, incluindo o lugar que a criança sentava, e se os pais já tinham buscado uma avaliação com oftalmologista, e eles responderam que sim,  que o profissional não tinha detectado nenhuma anormalidade.


Bom, mediante a estas informações, foi recomendado então que a criança passasse por uma avaliação psicopedagógica!

A família aceitou e assim formalizamos através de um contrato.

Iniciei a avaliação, seguindo um roteiro, sempre faço assim, pois a organização é fundamental para o trabalho psicopedagógico.

Mas no decorrer do processo, observei que o aprendente se aproximava da folha ou do livro, para enxergar melhor. Isto quando não apertava os olhos, e em algumas vezes lacrimejava!
Mesmo já sabendo que o menor, tinha passado por uma avaliação com um oftalmo, e nada tinha acusado. Pedi que a mãe, o levasse novamente, só que desta vez em outro local e com outro profissional.

Dei continuidade a avaliação, e quase antes de marcar a devolutiva, a mãe entregou o resultado. A criança, realmente tinha uma malformação congênita do olho, conhecida como HIPERMETROPIA.
HIPERMETROPIAé um tipo de ametropia e tem origem no globo ocular. Trata-se de um erro de refração que faz com que os raios luminosos que vão em direção dos olhos se encontram num foco atrás da retina e não em cima como deveria ser para um olho normal. Dessa forma, a capacidade refratária é alterada em relação aos olhos com visão normal. Isso causa dificuldade para enxergar objetos próximos e principalmente para leitura de textos.
A partir daí, e de todas as informações colhidas, pude fechar o diagnóstico, e entregar o resultado.
Toda a sua dificuldade em realizar cópia do quadro, e a "dispersão" confundida com falta de atenção, se manifestava, pelo fato dele executar a atividade, que para muitos era fácil e "normal", e para ele, gerava um desconforto e um esforço muito grande. Causada, estas sensações pela hipermetropia. 
Além de carregar o estigma de: PREGUIÇOSO E DE NÃO QUERER NADA, estes e outros adjetivos, que INFELIZMENTE, ainda, alguns professores utilizam! Muitos foram os prejuízos que esta criança teve, até obter um diagnóstico correto.
É fato, que estes "prejuízos" escolares ou não, somado aos anos, incluindo o processo de alfabetização, gerou um déficit em seu desenvolvimento, com notas baixas e anotações no caderno, com queixas da professora. 
Com algumas questões a serem trabalhadas, junto ao psicopedagogo, como ortografia, velocidade da leitura, omissão de letras, troca de letras e algumas inversões, entre outras. Foi recomendado, acompanhamento Pp, o uso do óculos para corrigir a hipermetropia, e com isto foi alcançado o resultado desejado!
Bom, se eu focasse apenas nos sintomas cognitivos, e ignorasse os outros, como os físicos, talvez eu fecharia um diagnóstico, com a "suspeita" de Dislexia! E encaminharia, a criança para outros profissionais, para então fechar o laudo. 
Mas como sempre falo, todo o cuidado é necessário, e os anos de experiência na minha atuação como psicopedagoga, me fez confirmar através de um novo exame, um outro resultado!

Por Karla Carvalho
Pedagoga e Psicopedagoga

AUTORIZO A CÓPIA DESTE CONTEÚDO EM SEU SITE,BLOG, PÁGINA, ARTIGO, TEXTOS, ACADÊMICOS OU INFORMATIVOS, DESDE QUE TENHA A MINHA CITAÇÃO COMO AUTORA. RESPEITANDO A LEI DE DIREITOS AUTORAIS.




Nenhum comentário:

Postar um comentário