segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Feliz dia do adolescente!!!

Ei, espere ai, no dia 12 de Outubro foi dia das crianças... Mas existe dia do adolescente? Deixe-me pensar... Pai, mãe, avós, madrinhas, crianças, animais, namorados, professores...tantos outros... Não consigo achar a comemoração deste dia, não.
Mas alguns podem pensar... Era só o que faltava, mais um dia para comprar presentes. E nem vai precisar, pois meu filho adolescente não merece mesmo. É preguiçoso, grosseiro, adora dormir e ficar no computador. Não me ajuda em nada na casa. Só fica trancado no  quarto. Nem me quer por perto. Espero que esta fase passe rápido.
Puxa... mas por que aquela criança fofinha transformou-se neste bicho de sete cabeças?
Vamos parar um pouquinho para falar sobre nosso adolescente. Ele está em meio a um turbilhão de hormônios, de novos conhecimentos, novas responsabilidades... Do dia para a noite ele tem seu corpo modificado. Percebe que os pais não são tão fortes assim, tem que dar conta da escola, dos amigos, das paqueras e escolher a profissão para a vida toda. É adulto para ajudar nas tarefas da casa, mas não pode sair sozinho. Tem muitas idéias para mudar o mundo mas ninguém dá atenção ao que diz. Quer “se virar sozinho”, mas morre de vergonha de ser visto como fraco quando quer ajuda ou um carinho de um adulto...
Acha isto fácil? Pois é, convido você a pensar em sua adolescência. Você pode dizer que os tempos eram outros, que você trabalhava cedo, respeitava seus pais... Sim , você pode ter razão, mas vai lembrar de seus pensamentos, e muita vezes vai surpreender-se como você e seu filho pensam parecido. Por que um fora que ele leva da namorada hoje pode ter uma dor menor do que teve sua primeira (e a última também) decepção amorosa?
Lá pelos 11,12 anos, vamos vendo o crescimento veloz das crianças. Vão entrando na terrível pré-adolescência e, se pudéssemos, adiantaríamos a vida deles para a vida adulta. Bem mais fácil.  Não teríamos medo das chegadas noturnas, do uso de drogas e álcool, da gravidez e dos relacionamentos indesejados, da moleza para estudar e trabalhar. Não vivenciaríamos o medo de não ser mais a prioridade na vida deles. Não seríamos questionados em nossos erros, acertos, condutas e pensamentos. Não viveríamos as dúvidas entre “soltar” ou “prendê-los” mais em nossas casas, ainda que bem quietinhos no quarto. Mas com certeza a vida não teria momentos maravilhosos.
Um adolescente não nasce do dia para a noite. Ele é uma mistura de tudo aquilo que você já compartilhou, ensinou, acarinhou e brigou durante anos. Ele ainda é (e sempre será) aquela garotinha risonha ou aquele menino travesso que tanto te cativou. Olhe nos olhos dele e você enxergará este amor. Permita-se dar ouvidos às idéias deles e proponha a ele que testem, juntos,  as teorias que ele propuser, na prática. Não tenha medo dos questionamentos que ele o fará. Aproveite para pensar neles e organizar os pensamentos.
Não deixe ele sempre no canto da sala ou do quarto. Vá até lá, dê uma beijoca ou um abraço, ouçam uma música junto e, antes de falar que as músicas do seu tempo eram melhores, ouça a dele, apresente seu gosto a ele e, se gostarem, vão fazer umas aulas de violão ou bateria juntos. Vejam um seriado aproveitando a companhia um do outro.


Você também tem aquele adolescente rebelde dentro de você, mas talvez o mundo tenha moldado demais seus desejos. Mas,  muitas vezes, é necessário que o mundo nos molde mesmo. Isto não quer dizer que você não pode revivenciar de uma forma mais madura esta fase deliciosa da sua existência ao lado de um dos maiores amores de sua vida.

Curta o adolescente, seja ele seu filho, sobrinho, aluno, vizinho.  Jogue os preconceitos para o lado e permita acompanhar este momento lindo da vida do ser humano. Você verá que valerá a pena.

A A PÁGINA DA NOSSA COLABORADORA E

 ACOMPANHE SEU TRABALHO: Clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário