quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Síndrome de Irlen - Dislexia da leitura


Síndrome de Irlen (S.I.) é uma alteração viso-perceptual, causada por um desequilíbrio da capacidade de adaptação à luz que produz alterações no córtex visual e déficits na leitura. A Síndrome tem caráter hereditário e se manifesta sob maior demanda de atenção visual.
Descrita em 1983 pela psicóloga Helen Irlen, a Síndrome de Irlen tem como manifestações, além da fotofobia, problemas na resolução viso-espacial, dificuldades na manutenção do foco, estresse visual, alteração na percepção de profundidade e cefaléias.
Durante a leitura, segundo pacientes, o brilho ou reflexo do papel branco contra o texto causam irritabilidade, assim como a luz natural ou fluorescente. Eles possuem ainda sensação de movimentação das letras que “pulsam, tremem, vibram, confluem ou desaparecem” dificultando a leitura. Além disso, queixam-se de insegurança ao dirigir, praticar esportes com bola ou em outros movimentos, como descer e subir escadas rolantes.
Os sintomas da S.I. são comuns a outras formas de déficits de aprendizado como hiperatividade, dislexia, déficits de atenção e alterações no processamento auditivo. Este fato torna relevante o diagnóstico diferencial e multidisciplinar já que estas doenças poderão aparecer associadas à S.I., e poderão exigir tratamento específico e medicamentoso.
A dependência entre o ver e o aprender é estimada em 80% e hoje já se reconhecem os impactos dos déficits de eficiência visual. Daí a importância do oftalmologista em buscar dados além da acuidade visual (tabela de letras em tamanho decrescente) e condições ópticas estáticas, dando, em conjunto a outras áreas, ênfase a outros mecanismos da visão especialmente às relacionadas à visão de movimentos. Dada à relevância deste assunto, haverão cursos específicos no evento, sob a responsabilidade de neurologistas e oftalmologiastas.
O rastreamento da S.I. é feito por profissionais da saúde e educação capacitados através da metodologia Irlen, aplicado em mais de 40 países. Através de intervenção não invasiva e de baixo custo, estes profissionais são capazes identificar e ajudar os portadores da S.I., maximizando sua produção acadêmica e melhorando sua qualidade de vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário