sexta-feira, 16 de novembro de 2012

PSICODRAMA PARA CRIANÇAS


Segundo a Psicopedagoga e Psicodramatista, Rosa Maria Silvestre Santos, a escola, precioso elemento de apoio, precisa rever continuamente a metodologia aplicada e investir na formação continuada de seus professores. Como afirma Alícia Fernández para que a criança possa aprender, nós devemos deixá-la ensinar, da mesma forma para  que aquele que ensina (professor) possa ensinar, devemos deixá-lo aprender.

Dificuldades de aprendizagem, psicomotoras, separações prolongadas, perdas traumáticas e relações conflitivas são alguns dos fatores que motivam cada vez mais pais e professores à procura por atendimento psicológico para suas crianças. Enquanto a criança está enfrentando algumas destas dificuldades os seus mecanismos de defesa são acionados e mesmo depois de aliviado por um momento, o sofrimento emocional não termina e uma das formas dele se manifestar ocorre através de alterações no seu comportamento. Estas questões ultrapassam os limites do frágil psiquismo infantil, pois sua estrutura psíquica ainda é muito primitiva e dificilmente ela irá suportar esta fase sozinha.

Através da ajuda de um terapeuta, juntamente com os pais, professores e outros profissionais da área de saúde, ela poderá processar e elaborar conflitos conscientes e inconscientes, sem contradições com o que sente, pensa e age. O Psicodrama surge como uma teoria psicológica e um método terapêutico, onde a criança é compreendida como ser ativo, social e sujeito da sua história, responsável por seus atos. Tem como instrumento a dramatização e a ação simbólica que se busca objetivar, permitindo investigar os vínculos interpessoais e suas características.

O espaço da terapia é uma oportunidade para a criança se expressar realmente no “aqui - agora” e ativar ainda mais sua espontaneidade e criatividade. Através de técnicas específicas assim como Jogos Psicodramáticos, a terapia possibilita a expressão de possíveis angústias, pensamentos e percepções do que vivencia, além de intervir na prevenção de distúrbios relacionais a longo prazo.
Léo Buscaglia acredita que o professor precisa se transformar urgentemente em professor afetuoso, precisa colocar açúcar e afeto na sua prática, despertar o aluno para o desejo de aprender, se interessar por ele, rir, chorar, tocar, abraçar, olhar nos olhos e qualificar sua presença.
Afirma Alícia Fernández que a libertação da inteligência aprisionada dar-se-á através do encontro com o perdido prazer de aprender. Muitas vezes, uma criança precisa ser encaminhada para um psicopedagogo para resgatar este prazer, envolvendo o profissional, a família e a escola.
A Psicopedagogia aliada ao Psicodrama busca resgatar o saber que a criança tem e não se dá conta que tem e propiciar autoria de pensamento, dar espaço e voz para ouvir o que a criança tem a dizer. Através dos jogos e dramatizações as crianças elaboram suas angústias e dão novo significado aos sofrimentos, trabalhando, na fantasia, os sentimentos reprimidos e as cenas da vida real.
A Psicopegagogia busca desenvolver os aspectos sadios da família e da criança e encontra no Psicodrama, uma fonte inesgotável de recursos, porque investe no resgate da espontaneidade e da alegria e no prazer de sentir-se uma criança única, original, interessante, recuperando a auto-estima perdida pelas cobranças diante de insucessos.

FONTE SITE:http://dc127.4shared.com/doc/BXlMSybl/preview.html
REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ANZIEU, D.- Psicodrama Analítico, Campus, RJ,1981.
BERMÚDEZ, R.J.- Introdução ao Psicodrama, Mestre Jou, SP,1970.
FERNANDEZ, A. Psicopedagogia e Psicodrama. Vozes, Petrópolis, Rio de Janeiro, 2001
FONSECA FILHO, S.J.- Psicodrama da Loucura-Correlações entre Buber e Moreno, Ágora, SP, 1980
GONÇALVES, Camila Salles. Psicodrama com crianças: uma psicoterapia possível, São Paulo: Agora, 1988.
___________________.Lições de Psicodrama. Introdução ao pensamento de J.L.Moreno. São Paulo: Ed. Agora, 1988.
HOLMES, Paul e KARP, Márcia. Psicodrama Inspiração Técnicas, Ed. Agora, São Paulo, 1991.
LANDINI, J.C. Do animal ao humano. Uma leitura psicodramática. São Paulo: Ed. Agora, 1998.
MARINEAU, F.R.- Jacob Levy Moreno- 1889-1974 : Pai do psicodrama, da sociometria e da psicoterapia de grupo, Ágora,SP,1992.
MONTEIRO, Regina. Técnicas Fundamentais do Psicodrama, Ed. Brasiliense, São Paulo, 1993.
MORENO, J.L. - Fundamentos do Psicodrama, 1ª ed. 1959,Summus,Vol.20, SP, 1983
____________ - Psicodrama, Ed. Cultrix, São Paulo, 1997
MOTTA, Julia M.C. O Jogo no Psicodrama, São Paulo, Agora, 1995.
OSÓRIO, Luiz Carlos. Grupos : teoria e prática : acessando a era da grupalidade. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000. 210p.
RICOTTA, Luiza Cristina de Azevedo. Pscodrama nas Instituições, Ed. Agora, São Paulo, 1990.
ROMAÑA, M.A. Psicodrama Pedagógico. Papirus, Campinas, 1985.
______________. Construção Coletiva do Conhecimento através do Psicodrama. Papirus, Campinas, 1992.
_____________. Do Psicodrama pedagógico à pedagogia do drama. Papirus, Campinas, 1996.
_____________. Crônicas e Conversas Psicodramáticas. Ágora, São Paulo, 1998.
PUTTINI, E. e outros. Psicodrama na Educação. Livraria INIJUÍ Editora. Ijuí, 1991.
_____________. Ações Educativas: vivências com psicodrama na prática pedagógica. Agora, São Paulo, 1997.
FEBRAP. Federação Brasileira de Psicodrama, São Paulo, 1976. Disponível em: <:http://febrap.org.br/federacao/oquee.asp>Acessado em: 16 maio .2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário